Estudo mostra que piratas são os que mais gastam com venda de música

Universidade americana divulga dados interessantes sobre a pirataria musical

Um estudo recentemente divulgado e conduzido pela American Assembly, afiliada da Universidade da Columbia, nos Estados Unidos, mostra que quem compartilha dados em redes P2P – normalmente considerados piratas – é também quem mais gasta com a indústria fonográfica.

O estudo se baseia na entrevista com milhares de consumidores americanos e alemães e mostra que quem compartilha compra 30% mais música que quem não compartilha.

Ao mesmo tempo, os resultados apontam que a pirataria offline (cópia de CD ou digitalização) continua maior que a online, informou o site TorrentFreak.

Os resultados do estudo estão disponíveis em PDF (em inglês). Nele estão outros dados curiosos, como o fato de que 51% dos entrevistados aceitariam multas, sendo que destes a maioria (43%) acredita que o valor justo da multa para uma música seria entre US$ 11 e US$ 100.

Relacionados:

Comentários